Sexta-Feira, 24 de Outubro 2014

Tempo Agora

Regional

todas as notícias
Tempo 76 - jun/2012
A filha dos cangaceiros mais famosos do país, dona Expedita Ferreira, veio de Salvador especialmente para ser homenageada pelo Fitas. Elas se emocionou durante o espetáculo Xaxado. (Foto: Solon Queiroz)

A filha dos cangaceiros mais famosos do país, dona Expedita Ferreira, veio de Salvador especialmente para ser homenageada pelo Fitas. Elas se emocionou durante o espetáculo Xaxado. (Foto: Solon Queiroz)

HISTÓRIA

A filha de lampião

Grupo Fitas resgata, através da arte, um dos momentos mais importantes da história do país, o Cangaço. O amor de Lampião e Maria Bonita é contado através do espetáculo Xaxado, que também faz uma emocionante homenagem a única filha do casal de cangaceiros

Michelle Tondinelli
Freelancer


 

“Se o senhor estiver em um negócio, e for se dando bem com ele, pensará porventura em abandoná-lo? Pois é exatamente o meu caso. Porque vou me dando bem com este "negócio", ainda não pensei em abandoná-lo”, capitão Virgolino Ferreira, mais conhecido como Lampião, em entrevista do médico de Crato, Dr. Octacílio Macêdo.
 
O rei do Cangaço, o famoso capitão Virgolino Ferreira, também conhecido como Lampião, fez história no Nordeste do país. Ele e sua mulher, Maria Bonita, foram o  inimigo número um da polícia local. Lampião começou com a vida de crimes em 1920, para vingar a morte do pai. Roubava, cobrava tributos de latifundiários e assassinava por vingança ou por encomenda. Quando passava por Santa Brígida, interior da Bahia, conheceu Maria Bonita. Amor à primeira vista! Nômades, sempre acolhidos pelos donos de fazenda, que zelavam pela segurança do bando. Em 1938 teve fim a vida de crime de Lampião e Maria Bonita, eles e sua quadrilha caíram em uma emboscada, ambos foram assassinados juntamente com seu bando. Maria Bonita e Lampião foram pais de uma menina nascida em 1932, que recebeu o nome de Expedita Ferreira. 
 
Crescer e ouvir histórias horríveis sobre quem eram seus pais, como roubavam e matavam, foi a vida de Expedita Ferreira. Ela reconhece que não foi fácil perder a vergonha de ser a filha de Lampião e Maria Bonita. “Quando eu era nova, tinha muita vergonha, não queria que tocassem no assunto de quem eram os meus pais, e eu não gostava. Ouvir histórias de Lampião ser matador, cangaceiro, ladrão não era fácil. Lampião e Maria Bonita me visitaram algumas vezes quando eu era nova, e eu tinha medo, eles tinham armas, e até ai, eu não tocava no assunto, ele morava no mato”, recordar-se.
Todo filho do cangaço tinha que ser dado, para não correr o risco de ser morto pelos inimigos. “Quando mataram lampião, descobriram que eu estava com um casal, foi quando fui embora para Salvador. Lá morei com o pai da minha mãe, e fui mudando minha concepção de se ser filha deles. Ai, no ano de 1956, com quatro filhos, fui dar a minha primeira entrevista como filha de Lampião e Maria Bonita. Logo depois, uma moça, a Cristina Machado, fez uma tese de doutorado e me convidou, foi ai que conheci o lado bom de Lampião, parando de ter vergonha de quem eram os meus pais, quem Lampião foi e quem Lampião era”, destaca.
 
Convidada pelo Grupo de Danças e Tradições Folclóricas Fitas, Expedita recebeu uma placa de homenagem e assistiu ao novo espetáculo do grupo, o Xaxado. “Com isso, vim a Montes Claros, fiquei muito emocionada e valeu muito a pena ter vindo, mesmo que eu não tenha convivido muito com meus pais, hoje, eu sei quem eles eram, sei as coisas ruins e boas”, diz.
 
O Xaxado
O Xaxado é uma dança típica nordestina, cuja origem está diretamente ligada diretamente ao Cangaço especificamente por Lampião e seus companheiros por volta dos anos vinte. “No inicio denominava-se Xaxado apenas a música que era usada como fundo para a dança pisada. Há uma diferença entre Xaxado, que é a música, e a pisada que é a dança. O Xaxado servia para que sobre ele se dançasse um tipo de coreografia que era chamada de pisada”, afirma o coreografo do Grupo Fitas, Leonardo Silva Alves.
 
Com a grande história do Nordeste, o Grupo Fitas tinha vontade de montar um espetáculo sobre o Xaxado. “Foi ai, que comecei a realizar pesquisas sobre o cangaço, o xaxado, lampião e Maria bonita. Assisti a documentários, li sobre a história, li a pesquisa de pesquisadores, e o que tinha na internet. Descobri uma fundação chamada Cabra de Lampião que tinha todas as informações que precisava para completar minha pesquisa, e é considerado o grupo mais antigo sobre o xaxado”, frisa. 
 
Ao assistir DVD’s de diversos grupos de dança, analisar as coreografias, Leonardo procurou não cometer plágios nas danças. Ele explique que queria uma coreografia que mostrasse o Xaxado, mas com uma concepção do norte de Minas. “O lampião inovou o cangaço e o xaxado pela necessidade de fugir no meio do mato. Ele era um justiceiro que gostava das coisas certas, criou em seu grupo o uso das alpargatas e sandálias de couro. Seus versos eram feitos com gozação do cotidiano de suas vidas e o movimento dos pés”, finalizou.
 

 

Saiba mais

Enquete

Quais são as chances de Aécio Neves ser eleito presidente ano que vem?

Grandes
Médias
Mínimas
Nenhuma
resultado parcial

Newsletter

Cadastre-se aqui e receba nossos informativos por email!


© Copyright Tempo Online. Todos os direitos reservados. É permitido a reprodução do conteúdo do site, desde que citada a fonte da mesma.

Desenvolvido pela 4WAY Web Solutions